Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Câncer de mama: como fazer o autoexame

Auto exame mama

O Ministério da Saúde, Instituto Nacional de Câncer (INCA) e Sociedade Brasileira de Mastologia concordam que embora o autoexame tenha sido bastante preconizado no passado, hoje em dia, ele é útil para o autoconhecimento do corpo e não substitui o exame clínico das mamas, tampouco a mamografia. Além disso, o autoexame deixou de ser recomendado em países mais desenvolvidos há mais de dez anos por não ser capaz de descobrir tumores menores que 1 centímetro. Ao se autoapalpar e não identificar nenhuma alteração, a preocupação é que mulheres deixem de procurar atendimento médico e de fazer exames de detecção. Falhas neste rastreamento e a lentidão entre a confirmação e o tratamento contribuem para a mortalidade.

Na luta contra o câncer de mama, é necessário autoconhecimento, isto é, que toda mulher conheça detalhadamente as suas mamas, o que facilita a percepção de qualquer nova alteração. Por vezes, muitas mulheres por medo, vergonha ou até mesmo por receio de não conseguir ajuda, não fazem o autoexame, não sabem até mesmo o que é anormal em seu corpo.

A orientação mais atual é que toda mulher a partir de 20 anos de idade, apalpe suas mamas sempre que se sentir confortável, a qualquer tempo, sem nenhuma recomendação técnica específica ou periódica. Os dados oficiais mostram que é mais comum mulheres identificarem caroços no seio casualmente (no banho ou na troca de roupa) do que no autoexame mensal.

Lembre-se: o autoexame de mamas é apenas a primeira precaução. A consulta ginecológica anual, exames de rotina e a atenção aos sinais de alerta, que estão abaixo mencionados, são essenciais para prevenir e tratar qualquer problema.

Principais sinais de alerta no exame da mama:

Os principais sinais de alerta no exame da mama, que necessitam avaliação médica e eventualmente exames de imagem, são:

  1. Palpação de nódulo
  2. Descarga papilar espontânea unilateral/uniductal de coloração sanguinolenta ou transparente tipo água de rocha
  3. Retração, abaulamento e/ou alteração da coloração da mama necessita de investigação
  4. Edema,tipo casca de laranja em mamas e/ou axilas.
  5. Inversão anormal do mamilo
  6. Nódulo endurecido que surge na axila
  7. Coceira no mamilo que não melhora com uso de corticoide

Todos os sinais acima mencionados são suspeitos e necessitam de investigação, seja com a realização de  mamografia  (caso a mulher tenha mais que 40 anos, segundo a Sociedade Brasileira de Radiologia e/ou Ultrassonografia) . Já pacientes de alto risco (familiar de 1º grau com câncer de mama, antecedente familiar de homem com câncer de mama, gene BRCA1 mutado.) necessita começar a investigação aos 35 anos já com mamografia e complementação com ultrassonografia, caso necessário.

Apesar de não haver técnica específica, seguem algumas sugestões de como fazer o autoexame.

Autoexame de mama como fazer:

Em frente ao espelho:

  • Posicione-se em frente ao espelho;
  • Observe os dois seios, primeiramente com os braços caídos;
  • Coloque as mãos na cintura fazendo força;
  • Coloque-as atrás da cabeça e observe o tamanho, posição e forma do mamilo;
  • Pressione levemente o mamilo e veja se há saída de secreção.

Em pé (pode ser durante o banho)

  • Levante seu braço esquerdo e apoie-o sobre a cabeça;
  • Com a mão direita esticada, examine a mama esquerda;
  • Divida o seio em faixas e análise devagar cada uma dessas faixas. Use a polpa dos dedos e não as pontas ou unhas;
  • Sinta a mama;
  • Faça movimentos circulares, de cima para baixo;
  • Repita os movimentos na outra mama.

Deitada

  • Coloque uma toalha dobrada sob o ombro direito para examinar a mama direita;
  • Sinta a mama com movimentos circulares, fazendo uma leve pressão;
  • Apalpe a metade externa da mama (é mais consistente);
  • Depois apalpe as axilas;
  • Inverta o procedimento para a mama esquerda.

Dr. Rodrigo Velloso Machado Eckmann

CRM 133.360

https://pebmed.com.br/quais-sao-os-sinais-de-alerta-no-autoexame-da-mama/
https://www.inca.gov.br/en/node/1208
http://www.sbmastologia.com.br/noticias/autoexame-da-mama-nao-substitui-exame-clinico-diz-ministerio-da-saude/
https://www.gineco.com.br/saude-feminina/exames-de-rotina/autoexame-das-mamas/

Posts Relacionados

Esteatose Hepática o que é?

O que é Esteatose Hepática?

A esteatose hepática é algo mais comum do que muitos imaginam, estima-se que cerca de 30% da população seja acometida pela doença,

O que é BIRADS?

Primeiramente para entender a classificação do seu exame, você precisa saber o que ela é e para que serve. A sigla BIRADS

NEWSLETTER

Assine e receba conteúdos exclusivos e atualizações do blog

Open chat